quarta-feira, janeiro 10, 2007

2007 O Ano da Afirmação

Caros Colegas

Desejo a todos um 2007 cheio de sucessos e que todos consigam atingir os seus OBJECTIVOS...
Contra os canhões ... (vulgo tudo e todos)
Marchar Marchar
Por mim deixo o aviso que vai haver muitas novidades ... Por isso, juntem-se a NÓS
Um abraço do vosso sempre guru
JFilipe Ribeiro

domingo, janeiro 07, 2007

Caracterização da formação

Sendo cada vez mais exigido, aos formadores e aos formandos ,a polivalência dos temas tratados ,no sentido de rentabilizar ao máximo ,toda e qualquer actividade formativa ,deve ter sido em conta o caractér definido da intervenção de formação.
A caracterização e organização dos conteúdos, implica a sua repartição em três grandes áreas:
1 Formação em competências profissionais
2 Formação em competências pessoais e relacionais
3 Consolidação de competências

As competências profissionais estão relacionadas com a actividade profissional que o indivíduo pretende vir a desenvolver e prendem-se com aspectos específicos ou complementares às saídas profissionais oferecidas.

Os conteúdos pertencentes a esta categoria obedecem ainda a uma segunda categorização, aparecendo agrupados em duas grandes áreas:

Área específica - desenvolve os conteúdos característicos das saídas profissionais disponíveis na entidade; os módulos, apesar de constituírem entidades autónomas e poderem, portanto, ser frequentados isoladamente pelos formandos, podem ser agrupados em conjuntos, designados por unidades; estas podem constituir percursos ou itinerários formativos independentes ou constituírem parte de um percurso maior, sendo algumas pré-requisitos à frequência de outras.

Área complementar - onde são integrados conteúdos considerados importantes para a integração sócio-profissional, mas não directamente relacionados com a formação anterior. Esta subdivide-se em formação académica e em formação para o emprego.


As competências pessoais e relacionais estão relacionadas com aprendizagens relativas a aspectos de desenvolvimento pessoal, comportamental e cultural, comuns e transversais a qualquer perfil profissional e à (re)adaptação ao mundo laboral, em geral. A sua frequência não deverá, porém, apresentar carácter de obrigatoriedade para todos os percursos formativos, podendo ser diversa conforme as situações, o que é decidido em função da avaliação inicial.

A consolidação de competências é caracterizada pela aplicabilidade prática dos conhecimentos adquiridos, podendo desenvolver-se quer no centro, quer em contexto de trabalho. Regra geral, funciona em final de percurso e pode assumir duas formas: projecto (trabalho prático a efectuar no final de um percurso formativo completo, que implica a utilização articulada de todos os conhecimentos anteriormente obtidos); e estágio formativo (período de formação em contexto de trabalho, em que o formando é apoiado de forma articulada na sua aprendizagem, quer pelo centro, quer pela entidade receptora, em função de um plano de estágio individual previamente delineado).

posted por Nuno Sousa